Minha conta de luz veio alta. E agora? Para muitos, o único caminho é pagar. Para outros, cometer o crime de fazer um gato é a solução mais viável. Mas, o que realmente podemos fazer se a conta de luz aumentar muito de um mês para o outro?

Para entender porque sua conta de luz aumentou precisamos investigar. Existem três cenários possíveis:

  1. Erro na conta de luz;
  2. Aumento no consumo de energia elétrica;
  3. Aumento nas tarifas ou mudança no enquadramento.

#1 Erro na conta de luz

Muitos consumidores desconfiam do medidor da distribuidora de energia (aquele relógio da COELBA, COSERN, CELPE, LIGHT, ENEL, CPFL, EDP ou da distribuidora que te atende). Poucas vezes ele tem algum problema técnico, pois são medidores homologados e passam por muitos testes até chegar na sua empresa ou na sua casa.

Contudo, erros humanos são mais comuns do que parecem. O faturamento da conta de luz é calculado com base em um número acumulativo. Ou seja, se no dia primeiro de janeiro o número for 100 kWh e no dia 31 de janeiro, estava em 300 kWh, sua conta de luz será de 200 kWh multiplicados pela tarifa de energia aplicada na sua região.

Em Salvador (Bahia) por exemplo, com a tarifa de R$ 0,85/kWh essa conta seria de R$ 170,00.

Exemplo:

  • Leitura 1: 100 kWh
  • Leitura 2: 300 kWh
  • Diferença: 200 kWh
  • Conta de luz (Tarifa de Energia da COELBA de R$ 0,85): R$ 170,00

Sendo assim, o leiturista que vai uma vez por mês ler seu consumo de energia pode cometer o erro de ler 400 kWh ou invés de 300 kWh, e dessa forma, cobrar R$ 255,00 na conta no local do valor correto de R$ 170,00.

Exemplo:

  • Leitura 1: 100 kWh
  • Leitura 2: 400 kWh (o valor correto deveria ter sido 300 kWh – erro humano de leitura)
  • Diferença: 300 kWh
  • Conta de luz (tarifa de R$ 0,85): R$ 255,00 (R$ 85,00 acima do valor correto)

Contudo, esse é o erro de menor impacto. No mês seguinte, sua conta deve vir mais barata que o normal. Por exemplo, se você consumiu os mesmos 200 kWh no mês seguinte (fevereiro), a leitura registrada no mês anterior foi 400 kWh e nesse mês o leiturista corretamente vai observar 500 kWh (200 kWh acima do valor correto que era 300 kWh), registrando uma variação apenas de 100 kWh (100 kWh abaixo da variação real de 200 kWh).

Nessa segunda conta de luz, o valor que deveria vir de R$ 170,00 será de R$ 85,00.

Exemplo:

  • Leitura 2: 400 kWh (100 kWh acima do valor correto)
  • Leitura 3: 500 kWh 
  • Diferença: 100 kWh (a variação real foi de 200 kWh, mas com o erro da leitura anterior, a variação virá apenas 100 kWh)
  • Conta de luz (Tarifa de R$ 0,85): R$ 85,00 (R$ 85,00 abaixo do valor correto).

Dessa forma, caso você identifique que o valor de leitura na conta de luz veio acima da do número que aparece no seu “relógio de energia”, não se preocupe, no mês seguinte deve ter uma correção.

A dica da Clarke é: tire uma foto do relógio nos dias de leitura para confirmar que as leituras estão vindo corretas ou não. É importante reforçar que muitos desses relógios funcionam de forma analógica e não é possível ver o consumo acumulado de kWh apenas olhando para ele, pode ser necessário fazer uma conta por meio de um especialista.

Por fim, ainda nesse primeiro tipo de erro, tivemos um alto crescimento de relatos desse problema durante a pandemia do Covid-19. Esse motivo se deu pois as distribuidoras não realizaram visita de leiturista em um certo intervalo para preservar a segurança dos funcionários, e as contas de luz foram calculadas com base na média histórica.

Como apresentado pelos números acima, se esse problema te afetou, fique tranquilo, deve ser corrigido nas contas posteriores.

#2 Aumento do Consumo de Energia Elétrica

Por outro lado, sua conta pode ter aumentado realmente porque seu consumo de energia disparou. Nesse caso, é fundamental estudar os “vilões” da sua conta de luz. Esses, geralmente, estão associados às mudanças de temperatura, seja para o calor ou para o frio. 

Caso tenha ar-condicionado, forno elétrico, câmara fria, freezer, geladeira, aquecedor ou algo semelhante, é preciso estar atento se usa esses equipamentos de forma correta.

  • Isolamento térmico: avalie se a borracha da geladeira está fechando a porta corretamente ou se locais com ar-condicionado estão com as janelas e portas abertas. 
  • Utilização adequada: evite colocar na potência máxima do ar-condicionado desde o primeiro momento que ligou, mude a temperatura aos poucos
  • Local de geladeiras e freezers: evite deixar esses equipamentos perto de outros que produzem calor, por exemplo, o forno.
  • Cortinas em salas com ar-condicionado: as janelas de salas que possuem ar-condicionado precisam ter cortinas para evitar que a luz do sol entre e esquente mais o ambiente. 
  • Lâmpadas de LED: some quantas lâmpadas você tem que são incandescentes, fluorescentes e de LED. Opte sempre pelos dois últimos modelos, pois eles podem ser de 50% a 80% mais econômicos. 

#3 Aumento nas tarifas ou mudanças no enquadramento

No último dia 01 de julho de 2020 tivemos um reajuste tarifário em diversos estados (Bahia, São Paulo, Rio de Janeiro, dentre outros). Dessa forma, você pode não ter mudado nada no seu consumo, o leiturista pode ter feito tudo certo, mas mesmo assim sua conta de luz aumentou. Na Bahia (região da COELBA) por exemplo, o aumento médio foi de 5%, ou seja, se sua conta de luz era de R$ 1.000,00 ela aumentou para R$ 1.050,00.

Outro fato relevante que pouco tem a ver com os dois problemas anteriores é o seu enquadramento. Quanto mais você ou sua empresa consome de energia mais ela muda o enquadramento do ICMS e da Contribuição de Iluminação Pública.

Em outras palavras, consumir mais energia vai não só aumentar o que você pagar por ela (cada kWh equivale de R$ 0,50 a R$ 1,00 dependendo do seu estado), como também pode fazer você aumentar sua alíquota de ICMS de 18% para 25% ou aumentar sua faixa contribuição de iluminação pública de R$ 40,00 para R$ 250,00.

O que entendemos na Clarke é que gerir a conta de luz pode parecer uma tarefa complexa, mas quando você entende um pouquinho só, consegue economizar bastante dinheiro. 

Sendo assim, para todos que estão na Bahia, Rio Grande do Norte e Pernambuco, sugerimos a utilização do nosso aplicativo gratuito para gerir e pagar as contas de luz. Disponível na App Store e na Google Play. Vamos te ajudar a ficar de olhos nos erros e te orientar sobre oportunidades de economia de energia.

Já para as empresas de todo o Brasil, a Clarke criou um simulador de economia que pode reduzir sua conta em até 30% sem nenhum investimento inicial. O teste dura menos de 2 minutos.

Contem com a gente para ajudá-los e economizar! 😉

Um abraço 💙