Entre janeiro e abril de 2024, a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica registrou  7.152 novos consumidores no Mercado Livre de Energia. Tal volume já equivale a 97% de todas as migrações de 2023. 

Além disso, de todas as migrações de 2024, 70% possuem um consumo inferior a 0,5 MW médios. Por isso, estão representados na CCEE por um comercializador varejista.

Ainda segundo a CCEE, o salto nas migrações é resultado da abertura do Mercado Livre de Energia para todo o Grupo A. A medida permitiu que empresas como padarias, supermercados, farmácias e escritórios conectadas a alta tensão, independentemente do tamanho, pudessem escolher o próprio fornecedor de energia. 

Deseja saber mais sobre o assunto? Então, não deixe de ler o novo texto do blog da Clarke!

Qual é a diferença entre a modalidade varejista e atacadista?

As empresas que migram para o Mercado Livre de Energia devem se associar a uma comercializadora, que pode ser varejista ou atacadista. Em resumo, essas comercializadoras substituem a distribuidora na venda de energia. 

Antes de escolher uma modalidade, é preciso compreender o perfil de cada consumidor livre. A comercializadora atacadista é a mais indicada para empresas com um perfil mais sofisticado, pois elas se tornam agentes da CCEE, com obrigações a seguir.  O ideal é que empresas que desejam migrar nessa modalidade tenham em sua equipe profissionais com experiência no setor elétrico.

Já a modalidade varejista é a mais indicada para empresas com perfil mais conservador, que desejam ter uma experiência mais “simplificada” no Mercado Livre de Energia. Pois, os comercializadores, além de venderem a energia, cuidam das obrigações do cliente na CCEE. 

Clique aqui e saiba mais sobre o tema.

Grande volume de migrações na modalidade varejista já eram esperadas pela CCEE

Segundo matéria do portal MegaWhat, a CCEE relatou que se preparou há pelo menos dois anos para simplificar e flexibilizar os processos do Mercado Livre de Energia, aprimorando as regras de atendimento ao varejo. 

O presidente do Conselho de Administração da CCEE, Alexandre Ramos, ainda revelou que o órgão se prepara para a abertura total do Mercado Livre de Energia.“Queremos que essas vantagens se estendam para todos os brasileiros, por isso temos trabalhado junto ao Ministério de Minas e Energia e à Agência Nacional de Energia Elétrica e estaremos prontos, em breve, para essa abertura total do segmento”, pondera.

Por que a sua empresa deve migrar para o Mercado Livre de Energia?

O Mercado Livre de Energia é um ambiente totalmente virtual onde consumidores livres possuem a liberdade de negociar a energia diretamente com o fornecedor. Como existe concorrência, essas negociações podem muitas vezes pode resultar em preços até 40% mais baixos. 

Além disso, as empresas possuem a liberdade de escolher o tipo de energia contratada. O que aumenta a acessibilidade à energia renovável, ajudando a reduzir a pegada de carbono e mostrando o compromisso com metas de sustentabilidade.

Faça como a rede Trimais: compre energia 100% renovável com a Clarke

Agora que você já sabe um pouco mais sobre o assunto, que tal comprar energia 100% renovável no Mercado Livre de Energia com a ajuda da Clarke?

Aproveite e faça já uma simulação para descobrir o quanto você pode economizar na conta de luz da sua empresa com o Mercado Livre de Energia. O desconto pode chegar a 40%! Fale com um especialista do nosso time e saiba mais sobre como podemos te ajudar!

Compartilhe este texto e siga a Clarke no Instagram, LinkedIn e Facebook.