Entender e interpretar o setor elétrico pode parecer bastante complicado para quem não possui qualquer formação ou experiência na área, concorda? Contudo, conhecer ao menos o básico da eletricidade é fundamental não somente para compreender como a conta de luz da sua empresa é cobrada, mas também enxergar novas possibilidades para economizar. O primeiro passo é compreender as principais siglas do setor elétrico. 

No texto de hoje, o time de especialistas da Clarke preparou um verdadeiro dicionário, com as principais siglas e órgãos que você precisa conhecer para nunca mais ficar perdido no tema. Se interessou pelo tema? Boa leitura!

Órgãos do setor elétrico: conheça os principais

  • Aneel: Agência Nacional de Energia Elétrica. É uma autarquia federal responsável por regular a geração, transmissão, distribuição e comercialização de energia elétrica no país. Uma de suas principais funções é definir as tarifas e autorizar os reajustes das distribuidoras.
  • CCEE: Câmera de Comercialização de Energia Elétrica. Instituição privada onde ocorrem a comercialização de energia elétrica no Sistema Interligado Nacional (SIN). 
  • MME: Ministério de Minas e Energia. Órgão do poder executivo responsável por formular e implementar políticas públicas no setor elétrico. 
  • ONS: Operador Nacional do Sistema Elétrico. Empresa privada que planeja, opera e controla a geração e transmissão da eletricidade. 

Como a energia elétrica pode ser comprada? ACL X ACR

  • ACR: Essa sigla do setor elétrico corresponde ao Ambiente de contratação Regulada. Compreende a maioria das Unidades Consumidoras (UCs) de energia. Nessa modalidade, o consumidor é “obrigado” a comprar energia diretamente das distribuidoras. Além de não ter flexibilidade nas escolhas, está sujeito aos reajustes e bandeiras tarifárias.
  • ACL: Ambiente de Contratação Livre ou Mercado Livre de Energia. Aqui, os consumidores possuem a liberdade de escolher o fornecedor de energia e está livre das bandeiras e reajustes da distribuidora. Essa competição entre fornecedores pode tornar a energia até 40% mais barata. A partir de 2024, todas as UCs de alta tensão poderão migrar para o ACL. 

Siglas do setor elétrico referentes aos encargos setoriais:

Criados por leis, os encargos setoriais viabilizam a implantação de políticas públicas no setor elétrico brasileiros. São recolhidos através das contas de luz. Confira os principais:

  • CFURH: Compensação financeira pela Utilização de Recursos Hídricos. Compensação financeira pela ocupação de áreas de usinas hidrelétricas e uso da água durante o processo de geração.
  • ESS: Encargos de Serviços do Sistema. Possuem como função custear os serviços que se relacionam com a manutenção do sistema e não estão incluídos no PLD.
  • EER: Encargo de Energia de Energia de Reserva. Cobre custos originados da  da contratação de energia para aumentar a oferta física de energia elétrica no sistema.
  • Proinfa: Programa de Incentivo às Fontes Alternativas de Energia Elétrica. Tem como função diversificar a matriz brasileira por meio do estímulo a fontes renováveis.
  • PEE: Programa de Eficiência Energética. Programa do governo que tetermina que todas as concessionárias de energia elétrica devem destinar 0,5% do seu faturamento anual para financiar projetos de eficiência energética.
  • TFE: Taxa de Fiscalização dos serviços de energia elétrica. É cobrada de todos os concessionários, permissionários ou autorizados, inclusive os produtores independentes e os autoprodutores. 

Outras siglas importantes da eletricidade:

  • CCEAL: Contrato de Comercialização de Energia Elétrica de Contratação Livre. Ele oficializa a negociação feita entre UC e o fornecedor escolhido.
  • CMO: Custo Marginal de Operação. Indica quanto custa produzir o próximo MWh que o SIN necessita para continuar equilibrado.
  • CVU: Custo variável Unitário – É o custo de uma determinada usina para gerar 1 MWh (abrange combustível, operação e manutenção por exemplo) – utilizado para determinação do CMO, as usinas são colocadas em ordem crescente de CVU (ordem de mérito) para despacho centralizado da energia
  • ENA: Energia Natural Afluente: Sigla do setor elétrico que descreve o quanto de água pode ser convertdio em energia nas hidrelétricas ou nas pequenas centrais hidrelétricas (PCHs).
  • MRE: Mecanismo de Realocação de Energia. Contempla as hidrelétricas sujeitas ao despacho centralizado do ONS. Ele garante que todas as regiões tenham a energia necessária para o abastecimento.
  • PLD: Preço de Liquidação das Diferenças. Ele  equaciona a oferta e demanda de energia elétrica em cada região do país, a partir da diferença entre a energia contratada e a gerada e consumida.
  • PMO: Programa mensal da operação – é o planejamento mensal da operação do SIN realizado pelo ONS
  • SIN: Sistema Interligado Nacional. Corresponde ao conjunto de equipamentos e instalações conectados eletricamente para possibilitar o suprimento de energia no Brasil inteiro.

Economize na conta de luz com a Clarke Energia

Agora que você já está por dentro das siglas do setor elétrico, que tal pensar em como sua empresa pode gastar menos com a conta de luz? Na Clarke Energia, ajudamos seu negócio a economizar sem investimento nem mudança nos padrões de consumo. Faça já uma simulação e descubra o quanto você pode poupar!

Caso tenha dúvida sobre os nossos serviços, entre em contato conosco. Nossos especialistas terão prazer em te ajudar!

Compartilhe este texto e siga a Clarke no Instagram, LinkedIn e Facebook.