fbpx

Neste mês de novembro, a Agência Nacional de Energia Elétrica aprovou nesta terça-feira (21) o reajuste nas distribuidoras: Companhia Hidroelétrica São Patrício Chesp (GO) e da DME-D (MG). As medidas já vigoram desde a quarta-feira (22).

As 83 mil Unidades Consumidoras da distribuidora mineira sofrerão um reajuste médio de 2,76%. O efeito médio a ser percebido será de 2,39% na alta tensão e 3% na baixa tensão. Ainda segundo a Aneel, os itens que mais contribuíram para o reajuste foram o pagamento de encargos setoriais e custos de transmissão. 

Já as tarifas da Chesp terão um aumento médio de 4,71%, sendo 0,63% para os consumidores de alta tensão e 5,55% para a baixa tensão. A distribuidora é responsável pelo atendimento de 39,5 mil UCs na região. As atividades de distribuição, transporte de energia e pagamento de encargos setoriais foram apontadas como justificativas para o reajuste.

Outras cinco distribuidoras em SP e SC também sofrerão reajuste

Em Santa Catarina, o reajuste foi para a Cooperativa de Distribuição de Energia Elétrica de Anitápolis (Ceral Anitápolis), com um efeito médio de 18,03%, sendo 7,82% para a alta tensão, e 18,14% para a baixa tensão. 

Já em São Paulo, aprovaram os reajustes tarifários anuais para: Cooperativa de Eletrificação de Ibiúna e Região (Cetril), Cooperativa de Eletrificação e Desenvolvimento da Região de Mogi das Cruzes (Cermc), Cooperativa de Eletrificação e Desenvolvimento da Região de Itu-Mairinque (Cerim) e Cooperativa de Eletrificação e Desenvolvimento Rural do Alto Paraíba Ltda. (Cedrap). Confira abaixo um resumo sobre o aumento médio em cada:

  • Cooperativa de Eletrificação de Ibiúna  e Região (Cetril – Sp): 2,34%;
  • Cooperativa de Eletrificação e Desenvolvimento da Região de Mogi das Cruzes (Cermc – SP): -0,09%
  • Cooperativa de Eletrificação e Desenvolvimento da Região de Itu – Mairinque (Cerim) 2,61% ;
  • Cooperativa de Eletrificação e Desenvolvimento Rural do Alto Paraíba Ltda (Cedrap -Sp): 3,48%.

Os valores foram aprovados na terça-feira (21) e entram em vigor a partir do dia 30 de novembro. Juntas, essas permissionárias atendem 62.324 unidades consumidoras.  

Fique livre de reajuste nas distribuidoras com a Clarke

No Brasil, existem duas formas de contratar energia elétrica. Através do Mercado Livre de Enegia (ACL) e através do Ambiente de Contratação Regulada (ACR). No ACR, o consumidor deve comprar energia diretamente da distribuidora, e fica sujeito aos reajustes tarifários e bandeiras. 

Já no ACL, o consumidor tem a liberdade de escolher o fornecedor de energia, pois, com a abertura da concorrência, ele fica livre dessas bandeiras e reajustes, além de economizar até 40% na conta. Em 2024, todos os consumidores do Grupo A poderão participar do Mercado Livre de Energia.

A Clarke é a primeira energytech do ACL. Em nosso Marketplace, contamos com mais de 50 fornecedores de confiança. Ajudamos sua empresa desde o processo de migração, até a escolha do fornecedor e gestão de energia. 

Economize na conta de luz da sua empresa com nosso time de especialistas!

Agora que você já sabe mais sobre os reajustes previstos, que tal tornar sua empresa mais sustentável e economizar na conta de energia? A Clarke te ajuda desde o processo de migração para o Mercado Livre, até a compra e gestão de energia 100% renovável e também te ajudamos na aquisição dessas certificações ambientais. 

Aproveite e faça já uma simulação para descobrir o quanto você pode economizar na conta de luz da sua empresa com o Mercado Livre de Energia. O desconto pode chegar a 40%! Fale com um especialista do nosso time e saiba mais.

Compartilhe este texto e siga a Clarke no Instagram, LinkedIn e Facebook.