Economizar na conta de luz do seu restaurante não precisa ser difícil. Para otimizar custos, é necessário avaliar, planejar e tomar decisões acertadas, que podem envolver cortar gastos.

Neste texto, separamos algumas dicas que podem ajudar o seu negócio a economizar energia e poupar bastante dinheiro. Ao final, não deixe de simular sua economia na conta de luz com o simulador da Clarke.

economize até 30%

Como economizar na conta de luz do meu restaurante?

O primeiro passo para saber como economizar na conta de luz do seu restaurante é entender que existem, basicamente, dois tipos de consumidores de energia: Grupo A e Grupo B.

O Grupo B é composto por clientes da chamada baixa tensão. São unidades consumidoras que, em geral (mas nem sempre), têm demanda mais baixa de energia — ou seja, a maioria dos restaurantes menores.

Já o Grupo A é de alta e média tensão. Normalmente, trata-se de unidades consumidoras que usam bastante energia e possuem equipamentos mais robustos, como grandes fornos elétricos e refrigeradores, entre outros. Redes de padarias e restaurantes maiores são exemplo de possíveis consumidores deste tipo.

Dito isso, vamos às dicas:

Analise a conta de luz do seu restaurante

A conta de luz tem alguns segredos que você pode não conhecer. Um deles é a forma de calcular a sua energia consumida.

Dependendo do tipo de estabelecimento que você possui, podem existir algumas alternativas. Na maioria das vezes, há duas possibilidades: migração para a Tarifa Branca ou o ajuste de Demanda Contratada.

Tarifa Branca

A Tarifa Branca pode ser uma opção para quem tem contas de luz menores, no chamado Grupo B, e funciona em horário comercial. Ela é uma modalidade de cobrança em que se paga valores diferentes dependendo da hora em que a energia é consumida. No horário comercial, é sempre mais barato.

Com a Tarifa Branca, o valor da tarifa é dividido em três tipos: Ponta, Fora Ponta e Intermediária.

Ponta – tarifa mais cara
Fora Ponta – tarifa mais barata
Intermediária – tarifa de valor intermediário

Os valores e horários dependem da concessionária de energia da sua cidade. No caso de São Paulo, o horário de ponta vai das 17h30 às 20h30, o intermediário de 16h30 às 17h30 e de 20h30 às 21h30. Nos finais de semana e nos feriados, a tarifa vigente é a mais barata em todos os horários.

Demanda Contratada

Já a Demanda Contratada é a quantidade de potência contratada por consumidores de Grupo A junto à distribuidora. Ela implica um custo fixo a ser pago todos os meses.

Essa parcela pode ser ajustada dependendo do contexto da empresa e dos equipamentos que ela usa. E muitos restaurantes podem estar com a demanda completamente desajustada. Quando isso acontece, ou a empresa está gastando mais do que consome ou está pagando uma multa pela ultrapassagem.

Algumas empresas conseguem economizar quase 50% só fazendo o ajuste dessa demanda. No entanto, a média de economia é de 11% – o que já é bastante coisa, uma vez que estamos falando de contas de luz de mais de R$10 mil.

Será que o Mercado Livre de Energia é uma opção?

No Brasil, alguns consumidores podem negociar a compra de energia livremente, no chamado Mercado Livre. Isso quer dizer que o seu restaurante pode escolher diretamente seu fornecedor de eletricidade, podendo negociar preço, fonte da energia, forma de pagamento e muito mais. Por enquanto, essa modalidade só está disponível para quem está em alta e média tensão (Grupo A).

A Clarke atende diversos clientes do setor gastronômico no Mercado Livre de Energia. É o caso do restaurante Alfredo’Ro, de Salvador (BA). Eles terão acesso a uma energia 100% renovável e vão economizar mais de R$ 340 mil em 10 anos!

“A Clarke nos chamou a atenção pela possibilidade de economizar na conta de luz sem muito esforço. Eles vão cuidar de toda a burocracia pelos próximos 10 anos e nosso restaurante poderá reinvestir esse dinheiro para reduzir os impactos da pandemia”, disse o empresário Ricardo Carvalho.

Olhe a temperatura dos equipamentos do seu restaurante

Os “vilões” da conta de luz geralmente estão associados às mudanças de temperatura, seja para o calor ou para o frio.

Você tem ar-condicionado, forno elétrico, câmara fria, freezer, geladeira, aquecedor ou algo semelhante? Fique atento se está usando esses equipamentos de forma correta, avalie o isolamento térmico, a utilização adequada (evite colocar na potência máxima desde o primeiro momento que ligou), dentre outros fatores.

Observe a influência do sol nos seus equipamentos

Gostamos de pensar que o sol é ótimo para gerar economia de energia ao produzir iluminação. Neste sentido, janelas abertas e paredes brancas podem ser melhores do que alguns tipos de lâmpadas.

Contudo, o mesmo sol que ilumina e economiza energia pode atrapalhar a refrigeração do local. Por isso, evite usar ar-condicionado em ambientes com janelas sem cortinas ou tente proteger câmaras frias, freezers e geladeiras que estejam recebendo o calor do sol.

A rede elétrica do seu restaurante está boa?

Por fim, é sempre importante analisar as instalações elétricas para saber se existe ou não grande perda de energia por meio de cabos elétricos antigos.

Neste caso, assim como em outros estudos técnicos, o acompanhamento de um especialista é super recomendado.

descubra a economia na conta de luz da sua empresa com a Clarke Energia

Economize na conta de luz com a Clarke!

Agora que você já sabe como economizar na conta de luz do seu restaurante, que tal escolher seu próprio fornecedor de energia? Os especialistas da Clarke estão prontos para te ajudar a migrar para o Mercado Livre de Energia, o que pode fazer a sua empresa poupar até 40% na conta de luz!

Faça já uma simulação e descubra qual pode ser o tamanho do seu desconto. Caso tenha dúvida sobre os nossos serviços, entre em contato conosco. Nossos especialistas terão prazer em ajudá-lo!

Compartilhe este texto e siga a Clarke no InstagramLinkedIn e Facebook.